Racism in heart of darkness pdf

in Epub by

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Marlow é contratado para transportar marfim rio abaixo. No entanto, a sua tarefa mais urgente é devolver Kurtz, um famoso racism in heart of darkness pdf de marfim, à civilização.

A obra tem um caráter crítico e psicológico e, apesar de seu tamanho pequeno e fácil leitura em relação ao vocabulário, exige uma alta concentração do leitor por constituir uma narrativa simbólica e de rápidas conexões. Enquanto o livro se passa em tempos mais remotos, o filme se situa na guerra do Vietnã, colocando o Sr. Kurtz como um coronel americano que se refugia na selva. Apesar das adaptações de roteiro, o filme consegue manter as críticas do livro, transportando-as à guerra.

O livro possuiu similaridades com a vida de Conrad. No dia seguinte, ele sobe o rio em outro navio, comandado por outra pessoa. Durante a jornada, o capitão adoece e Conrad assume o comando. Eles buscavam Georges-Antoine Klein, o agente da estação mais longínqua da companhia, que acaba morrendo na viagem de volta. O próprio Conrad fica muito doente e retorna à Europa antes de completar os três anos de contrato que havia assinado com a companhia. Marlow inicia sua narrativa contando como conseguira o posto na companhia, através da ajuda e influência da tia que conhecia a esposa de um alto dirigente da Administração. Assim ele se torna comandante de um vapor, sendo-lhe atribuída a missão de resgatar um chefe de posto de comércio, conhecido por Sr.

Ao narrar suas aventuras até encontrar sua embarcação, no Congo, Conrad faz uma crítica à falta de conectividade entre as regiões, à escravidão, ao aspecto burocrático e alheio dos comandantes, bem como à falta de informação por parte destes. Nesse processo, Marlow passa a ouvir muitos elogios ao Sr. Kurtz, considerado um ótimo chefe de posto, muito inteligente, sujeito brilhante. Marlow afirma, em dado ponto da narrativa, que, ao pensar em Kurtz, via apenas um nome e era incapaz de enxergar a pessoa por trás da lenda.

Para infortúnio de Marlow, ele descobre que, dois dias antes de sua chegada, um comandante improvisado havia recebido ordens para subir o rio Congo com o barco, o qual afinal se chocara contra pedras do fundo do rio, naufragando. Sem outra alternativa, Marlow decide tentar consertar a embarcação e passa alguns meses fazendo isso. Em seguida, parte rio acima, à procura de Kurtz, lidando com as dificuldades de navegação do rio, além dos problemas de operação do barco, já velho, deteriorado e com o motor defeituoso. Marlow vai, lentamente, adentrando o coração das trevas, em direção ao lendário, brilhante, mas agora louco Sr.

O personagem onde a história é centrada. Kurtz reúne-se com o protagonista do romance, Charles Marlow, que o devolve à costa via barco a vapor. Kurtz, cuja reputação o precede, impressiona Marlow fortemente e, durante a viagem de regresso é testemunha dos seus momentos finais. No entanto, não foi um grande sucesso durante a vida do autor. Quando foi publicado como volume único em 1902, com mais duas novelas, “Youth” e “The End of the Tether”, recebeu comentários mínimos de críticos. O próprio Conrad não considerou ser particularmente notável.

Na década de 1960, porém, foi a atribuição padrão em muitas universidades e escolas secundárias em cursos de inglês. Conrad do horror decorrente dos métodos e efeitos do colonialismo no Estado Livre do Congo. A palestra de Chinua Achebe sobre o livro em 1975 provocou décadas de debate. Congo, no momento da publicação do livro. Desde que a obra promoveu e continua a promover uma imagem preconceituosa da África que “despersonaliza uma parte da raça humana”, concluiu que não deve ser considerada uma grande obra de arte. Rino Zhuwarara amplamente concordou com Achebe, porém considerou importante ser “sensibilizada à forma como os povos de outras nações compreendem a África. Em 2003, o professor Dr.